Visitante número

quinta-feira, 29 de novembro de 2007

TENHO UM LIMITE: SOU CELÍACO






Curitiba, 27 de Novembro de 2007.


Desde o ano de 2004, eu sentia fortes dores no estômago, queimação, mal estar, quase tudo que comia me fazia mal. “Só pode ser gastrite”, pensava.

No começo deste mês, numa segunda-feira, foi o fim da picada: tomei café puro e detonou meu estômago. Queimação, mal estar, vômitos e gases, simplesmente horrível.

Fui ao médico do SUS e me receitou dois remédios, e ainda, disse para cortar: refrigerantes (Coca-cola em especial), café, sucos ácidos, sucos de pacotinho (Tang, por exemplo), frituras e bebidas alcoólicas. Fiz a dieta corretamente até, mas nada adiantou. Além dos remédios ele disse para eu fazer uma endoscopia.

Sabemos que o sistema público de saúde é precário. Foi então que, com ajuda da minha família, marcaram exames e consultas para mim em Curitiba – PR, para ver o que havia comigo.

Logo após fazer a endoscopia, no dia 27/11/2007, em Curitiba, fiquei sabendo, através da minha tia – pois eu estava sedado – que eu não tinha nenhum problema de gastrite ou úlcera, mas sim portador da doença celíaca.

Para ser sincero, na hora não acreditei. Mas logo percebi que o caso era sério.

Minha mãe é celíaca, minha tia é celíaca, ou seja, é hereditário.

Afinal, o que é está doença celíaca?

A doença celíaca é uma patologia autoimune que afeta o intestino delgado de adultos e crianças geneticamente predispostos, precipitada pela ingestão de alimentos que contêm glúten. A doença causa atrofia das vilosidades da mucosa do intestino delgado, causando prejuízo na absorção dos nutrientes, vitaminas, sais minerais e água.

O glúten é uma proteína presente no trigo, na aveia, na cevada (no subproduto da cevada, que é o malte) e no centeio(T.A.C.C.) e em todos os alimentos e produtos preparados com esses cereais.




Glúten não desaparece quando os alimentos são assados ou cozidos.

A fração tóxica do Glúten encontrada no trigo é chamada de Gliadina.

O Glúten agride e danifica as vilosidades do intestino delgado prejudicandoa absorção dos nutrientes dos alimentos.
Os sintomas podem variar de pessoa para pessoa.

Em nosso meio, o quadro clínico mais comum é caracterizado por diarréia crônica acompanhada de barriga inchada e perda de peso, além de vômitos, anemia, atraso no crescimento, irritabilidade e apatia.

O único tratamento consiste na dieta isenta de glúten por toda a vida.

Não posso comer nada que contenha trigo, aveia, centeio, cevada ou malte. Por exemplo: bolachas, biscoitos, bolos, empanados com farinha de trigo, farinha de pão ou de rosca, pães, massas, cerveja, uísque e uma infinidade de produtos industrializados que contêm glúten em suas fórmulas




A lei 10.674/03, em seu artigo 1º diz:

“Art. 1º Todos os alimentos industrializados deverão conter em seu rótulo e bula, obrigatoriamente, as inscrições "Contém Glúten" ou "Não Contém Glúten", conforme o caso.”

Qualquer produto industrializado, atrás do rotulo diz se há ou não glúten naquele produto, devido a está doença pouca conhecida.

Tenho meus limites: uso óculos e meu organismo não tolera glúten. Não posso mais comer pão, tomar uma cerveja, comer um laka, uma pastel da feira, uma coxinha, um lanche etc; exceto quando feito de produtos especiais que substituam o glúten, por exemplo: farinha de arroz ( difícil achar em cidades pequenas ) creme de batata, creme de arroz e outros, mas não é tão simples sua produção. Normalmente é feito em casa, e com muito cuidado para não ser contaminado pelo glúten.



Muitas pessoas, certamente sejam portadoras da doença celíaca e não sabem, por ser pouca conhecida.

A divulgação de tal doença é necessária, pois se eu, por exemplo, não soubesse que fosse celíaco, daqui 15 anos eu estaria mal, muito mal; estaria morrendo aos poucos.
Acredito que este post seja de utilidade para as poucas pessoas que lêem este blog, pois a divulgação se faz necessária, ou muitas pessoas podem morrer sem saber o porque.




Enfim, certas coisas tenho que aceitar sem contestar. Tenho este limite para o resto da minha vida.



Fonte:

Produtos sem Glúten - http://www.semgluten.com.br/html/celiaca.htm

ABC da Saúde - http://www.abcdasaude.com.br/artigo.php?148

7 comentários:

Anônimo disse...

Também posso gritar?
Pois bem eu também tenho este limite....
A 4 anos tive um grande problema perda de peso muito rapida 35 kg em 3 meses enjoos dores de cabeça e muito mais disseram que tinha insuficiencia pancreas mas desde ai nada ficou bem a medicaçao nao dava efeito continuei viver mas muito limitada até que actualmente em junho 2009 tudo voltou deixa andar ...até que em Dezembro nao aguentava mais ja so comia torradas pao canja e cha e continuava muito mal dores cabeça muuuuuuuuuuuuuuito cançasso hemoglobina e valores ferro baixos fiz endoscopia e colonoscopia tudo normal o medico dizia ser uma alergia uma vez que tenho varias entre as quais lactose ....
Fiquei de registar diariamente o que comia a ver se descobria até que me falaram doença celiaca experimentei alimentaçao sem gluten e funcionou fiquei normal bem muito bem mesmo ...ha 7 anos que sofria...A dieta nao é facil a gluten em tudo os preços sao exagerados...Na minha familia nao temos ninguem celiaco so eu mesmo...Nao fiz e nem sei se vou fazer biopsia pois para isso teria voltar comer gluten e fazer um ciclo 3 biopsias ...
Infelizmente em Portugal nao ha tanta informçao como no Brasil ou Espanha...

Mas tornar-nos celiacos aos 29 nao é nada facil pois ja conhcemos sabores da comida com gluten

valdir carvalho disse...

sou celiaco e como de tudo e sou feliz. Quer saber mais????
email valdir.floripa@gmail.com
www.yotube.com/user/valdircsouza

Elizete disse...

Olá, boa noite!
A cerca de 05 meses descobri que sou celíaca, desde então tenho pesquisado sobre, hoje vi o seu blog e curti muito, afinal desde que soube da doença tenho "gritado" acho que é isso que temos que fazer para que possamos ser ouvido, pois,já percebi que o fato da obrigatoriedade da identificação dos produtos a respeito do glúten não é o suficiente para termos nossos direitos garantido como cidadãos.
É preciso que haja mais políticas publicas e pessoas engajadas nesta causa que acredito que a cada dia que passa há um celíaco a mais sem saber que são.

Elizete disse...

Olá, boa noite!
A cerca de 05 meses descobri que sou celíaca, desde então tenho pesquisado sobre, hoje vi o seu blog e curti muito, afinal desde que soube da doença tenho "gritado" acho que é isso que temos que fazer para que possamos ser ouvido, pois,já percebi que o fato da obrigatoriedade da identificação dos produtos a respeito do glúten não é o suficiente para termos nossos direitos garantido como cidadãos.
É preciso que haja mais políticas publicas e pessoas engajadas nesta causa que acredito que a cada dia que passa há um celíaco a mais sem saber que são.

Cris Costa disse...

Olá, boa noite!
Não sei se sou celíaca, o fato é que todas as vezes q como pão(massas) passo mal, fico todo tempo arrotando me sentindo cheia e os batimentos cardíacos aceleram. coemcei a ter dores abdominais e diarréia clara.Quando uma cliente veio até minha loja e me falou da doença e q era portadora da mesma. Daí então começei a pesquisar a respeito, cortei o pão(q adoroo) e me senti como há mt. não me sentia. Nessa mesma semana(isso foi agora a pouco) estava no supermercado e louca lendo os rotulos! fiquei mt. triste, pois quase tudo contém glúten, ainda mais aq. no ceará.. Senti fome e procurei um iorgute pra tomar, mas todos q olhei! continham glúten! já na saída tinha uma lanchonete onde encontrei um pão de queijo para minha alegria! Mas comi e fiquei me sentindo mal, não tanto quando como pão, mas fiquei..Daí agora lí q se tiver qualquer resquício do trigo é suficiente. Hj. no almoço não resisti a umas linguiças assadas, e passei mt. mal por isso a ponto de pedir ao meu marido pra me levar ao médico, mt. mal estar e ansia de vômito, fiquei gelada, mt. mal mesmo. Só depois é q fui olhar a embalagem.. E lá estava: Contem Gluten bem pequenininhooo, eu tenho miopia e hipermetropia, aí já viu né.. Tenho q andar agora com uma lupa, pois absurdamente, eles colocam a inscrição naquelas letras minúsculas! Isso deveria vir em letras GARRAFAIS e em vermelho na frente da embalagem.
Adorei seu Blog. Boa Sorte pra vc.!
Ainda não fui a um médico, mas quero estar totalmente engajada do assunto desde já.
Xeruuuu! Cris.

Bradacz disse...

Tenho 37 anos e sou celíaco. O engraçado na minha história é que, quando criança tive problemas graves com a doença, diarréia crônica, perda de peso absurdo e na época fiz todos os exames, biópsias e fui diagnosticado como celíaco. Logo cortaram o glúten da minha alimentação. Voltou tudo ao normal. As diarréias sumiram, dores abdominais desapareceram, mas continuei magrelo. Os 11 anos, após 5 anos sem glúten, o protocolo médico suiço de 69 determinava que: voltasse a comer glúten e fazer a biópsia após 3 meses! Foi o que fizeram comigo, resultado? Inconclusivo. Hoje aos 37 anos, me sentia tão mal durante o dia, fortes dores de cabeça, fadiga crônica, me sentia absurdamente fadigado ao final da tarde, não importa o quanto eu tentasse dormir, pois não havia mais qualidade no sono. Dormia com dor de cabeça e acordava latejando. Foi quando resolvi consultar um gastro, chegando lá conversa vai, conversa vem, falei "Eu era celíaco quando criança" e ele "Era? Essa doença não tem cura!" Pronto, fiquei altamente incucado, será? Enrrolei 2 anos para fazer os testes, não queria admitir que não poderia mais tomar um cerveja, comer uma pizza, etc. Mas a doença não dá mole, as dores de cabeça estavam cada vez maiores, foi quando fui a um laboratório de um amigo meu e pedi os exames de sangue. 1 semana depois, pimba, os 3 exames confirmados, era Celíaco mesmo. Imaginem, por um protocolo da DC antigo (o exame havia sido feito em 1982) voltava a comer glúten. 25 anos depois, todos os sintomas que eu havia experimentado nos últimos 3 anos eram devido a ingestão do glúten. Hoje faz 2 meses que não como mais glúten, ainda estou me recuperando, as dores de cabeça se foram, a fadiga se foi, me sinto muito mais disposto durante o dia e durmo muito melhor. O único problema é o mesmo que muitas pessoas reclamam. Comer na rua é muito difícil, muitas vezes passo fome. No mais senti que meus amigos entenderam bem. Me sinto um privilegiado, pois as pessoas me convidam para jantar e me acompanham na vida sem glúten! Fazem questão de não comerem. Fico até encabulado certas vezes! O pior é quando saimos e temos que lidar nos restaurantes perguntando sobre os ingredientes nos pratos, algumas pessoas acham que estou me disfazendo de suas comidas. No mais, estou estudando para fazer a minha cerveja, pois realmente é o que me faz falta! Bom apetite caros Celíacos!

Flávia disse...

Olá! PArabéns pelo post.
Bem escrito!
TAmbém sou celiaca. tenho 3 filhos celiacos...
Ah! temos uma comunidade no face de co-ajuda e troca de receitas, vc será bem vindo. se chama viva sem gluten!