Visitante número

terça-feira, 24 de março de 2009

TOQUE


Enfim sós. Enfim juntos. Sob o sereno noturno, da noite repleta de espectadores: as estrelas. O luar. Um banho de vitalidade e o esperado: o toque.

Toque das mãos que suavemente mediam cada centímetro de seus dedos, que umedeciam a superfície das minhas palmas, onde cuidadosamente procuravam o refúgio das palavras ditas, lindas e inesperadas.

Toque dos lábios, degustando pedaços da tua boca, cada canto, cada beijar que privilegiava a minha, sentindo os músculos trabalharem levemente para sorrir.

Entre meus braços: tu. Tu moça, do sorriso radiante, dos olhos graciosos, das pernas saltitantes, das mãos macias e expressivas. A exceção.

Sós, sob a Amoreira e as estrelas: o toque.

7 comentários:

cintia disse...

Simplesmente sem palavras...
Como eu ja disse... há tempos que eu não lia algo tão especial...
Continuo adorando....

Rodrigo Barbosa Urbanski - O Grito disse...

Obrigado pela visita Cíntia. Fico feliz que tenha gostado do blog. Ainda existem pessoas que lêem na internet, isso é bom.

Aretha H. disse...

Adoro a sua forma detalhada de escrever percepções de pequenos gestos, coisas, enfim...muito bom! Parabéns!

Rodrigo Barbosa Urbanski - O Grito disse...

Obrigado Aretha!

Observo seres que despertam 'algo'em mim.

MOÇA disse...

Cria vida em mim certas percepções do "TOQUE"...é suave como nada dizer...

Rodrigo Barbosa Urbanski - O Grito disse...

"Há tanta suavidade em nada dizer. E tudo se entender"

Patricia Firmo de Oliveira disse...

nossa que lindo...já vivi algo assim...exatamente!